Início Sociedade Aluno da UFMG ganha prêmio internacional por combate à malária

Aluno da UFMG ganha prêmio internacional por combate à malária

- Anúncio -

Pesquisas realizadas no Brasil e exterior para combater a malária, são esforços necessários para tratar de uma doença que afeta milhares de pessoas em todo o mundo.

Um exemplo triste, onde indivíduos são infectados com o vírus é no Congo. Mais de 25 milhões de pessoas de toda as as idades já tiveram malária. A região é povoada por pessoas muito pobres, com dificuldade de ter acesso ao tratamento indicado. 

A esperança para combater a malária, veio de um estudante da Faculdade de Medicina da UFMG, Universidade Federal Minas Gerais. O estudante Louison Mbombo recebeu o prêmio de Melhor Inovação Humanitária 2019 da The Dutch Coalition for Humanitarian Innovation (DCHI), em Amsterdã, na Holanda.

- Anúncio -

A premiação, foi por Louison ter criado um software  que faz análise e de dados sobre a malária no Congo, oferecendo condições para uma ação de prevenção de novos surtos da doença.

- Anúncio -

Para a utilização do software, o estudante precisou das ferramentas de inteligência artificial da Microsoft e do Google. A ideia é evitar a doença que, mesmo tendo tratamento, o sofrimento sendo evitado é muito melhor, muitas pessoas morrem todos os anos de malária.

“As crianças são as mais atingidas pela doença. Na África, a cada dois minutos uma criança morre. A gente não pode aceitar morte por uma doença que é tratável e evitável”, disse Louison Mbombo.

“Desde criança, sempre tive uma visão de mudar o mundo para melhorar. Já nasci com isso, com essa vontade de mudar o mundo. Não ficava confortável de ver tudo que está acontecendo, como problemas relacionados à desigualdade e às mudanças climáticas. Então, decidi tomar uma iniciativa para melhorar a qualidade de vida das pessoas e abri a ONG no intuito de salvar vidas”, concluiu.

O jovem aluno, que é refugiado, chegou ao Brasil em 2013, deixando seu país devido a sérios problemas políticos na República Democrática do Congo.

Fonte: Só Notícia Boa

- Anúncio -

Qual sua opinião? Escreva abaixo👇
- Anúncio -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Must Read

Cientista da OMS afirma: Coronavírus pode levar 5 anos para ser controlado

Cientista cientista-chefe da OMS (Organização Mundial de Saúde), fez uma afirmação nada animadora, ao contrário, muito preocupante.

Covid-19 causa grave inflamação em algumas crianças, diz estudo

Uma pesquisa publicada pela revista cientifica The Lancet apresentou uma nova complicação do novo coronavírus. Segundo o estudo, oito crianças...

Vermífugo e remédio para asma pode “matar” o coronavírus testado em laboratório

Cientistas da Coreia do Sul conseguiram identificar medicamentos que apresentaram resultados nos testes em laboratório, considerados como sinais promissores para o combate...

Adele comemora 32 anos aparecendo em público pela primeira vez em 2020: “Está irreconhecível”

A cantora britânica Adele, uma das vozes mais poderosas do mundo, comemorou o aniversário de 32 anos na última terça-feira, (05/05). para...

Mães não conseguem aprovação do auxílio emergencial por causa dos ex-companheiros

Muitas mães estão tendo problema para fazer o pedido e receber o auxílio emergencial, não por problemas referentes ao cadastro, nem por...